Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 3 de janeiro de 2015

Lua de Mel em Campos do Jordão

A Suíça brasileira com muita classe, romantismo e beleza

Campos do Jordão foi a cidade escolhida para minha lua de mel. Após eu e meu marido irmos a Aparecida do Norte agradecer nosso encontro, partimos para Campos do Jordão, cidade conhecida como a Suíça brasileira. Aliás, dois municípios no Brasil remetem à Suíça: Monte Verde, em Minas Gerais e Campos do Jordão, em São Paulo. Tive o prazer de conhecer os dois. Um em minha lua de mel e o outro em minhas bodas de quatro anos de casada.

Campos do Jordão fica a 1.700 metros de altitude e o clima é uma atração especial para o romantismo ainda mais no inverno. Aliás, o clima jordanense também é conhecido por curar pessoas com doenças respiratórias. A cidade é composta por três vilas principais: a Abernéssia – centro comercial e administrativo; Jaguaribe, que tem uma parte turística e outra residencial e a Capivari – vila turística propriamente dita. Nesta, estão construções que lembram a arquitetura suíça, de estilo normando. Os mais famosos restaurantes, shoppings, hotéis e residências que se parecem com os chalés e palacetes.

O ponto de encontro é mesmo na Vila Capivari. Cafés, barzinhos ou restaurantes requintados reúnem turistas que apreciam momentos de descontração com amigos ou com a cara metade. A alta temporada na cidade é o inverno. Neste período é comum shows e apresentações culturais na praça São Benedito.

Bem no parque da Estrada de Ferro, encontramos um charmoso lago que convida à caminhada e às compras, pois, é ali que estão lojas com produtos da cidade. Já nos shoppings, encontram-se as mais diversas grifes. O bondinho urbano é em estilo inglês e leva os visitantes para um pequeno passeio na cidade.

Há um teleférico que liga a vila ao Morro do Elefante, mas, para variar, não me aventurei. E trenzinhos fazem um city tour pela charmosa cidade.

A Ducha de Prata encanta a todos e fica no bairro Vila Inglesa. São várias duchas artificiais com

águas da represa do ribeirão das Perdizes. Há plataformas de madeira, pedras e trilhas que convidam o turista para excelentes fotos. Além disso, o barulho das águas e o canto dos pássaros relaxam os visitantes e o que é melhor: a entrada é franca.

Chocolates caseiros, doces, gastronomia, cultura, malhas e águas minerais de Campos do Jordão são cervejaria artesanal Baden-Baden também é muito conhecida e também é lá que se fabrica a primeira cerveja gastronômica do Brasil.
famosos. Não menos que seu clima, que propicia saúde e bem-estar ao visitante. A

São tipos diferentes da bebida que agradam a todos os paladares. Eu que não aprecio cerveja, provei a de trigo e me apaixonei. Quando fomos, estavam com uma promoção de que se pedíssemos uma taça, ganharíamos outra. Pedi uma e meu marido outra e depois trocamos. Foi divertido. Saímos de lá flutuando, alegrinhos, mas, também muito contentes com a qualidade da bebida. Estávamos em lua de mel, então, um pequeno exagero estava liberado. Saímos, claro, levando de lembrança duas taças e uma caixa com as variedades da cerveja: trigo, red ale, weiss e escura.

Matriz – Como sempre, em minhas viagens, privilegio conhecer as igrejas da região que estou visitando. Elas falam muito da cidade além de agregarem cultura, artes, religiosidade e muita beleza. A igreja Matriz Santa Terezinha não é diferente. Ela fica na Vila Abernéssia e era convento dos franciscanos.
 Enfim, com certeza, Campos do Jordão é chique e inesquecível. Marca um momento decisivo da minha vida. Um lugar que sempre me lembro com muito carinho!

Conheça também e curta nossa página no facebook: 
                                                                                      www.facebook.com.br/blogviagenspelobrasil

                                                                    *Texto e Fotos: Karina Motta



Visitei e recomendo:

Vilas Abernéssia, Jaguaribe e Capivari

Praça São Benedito

Parque da Estrada de Ferro

Cervejaria artesanal Baden-Baden

Igreja Matriz Santa Terezinha

Localização: 

Campos do Jordão está localizada entre as três grandes capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Pertence ao estado de São Paulo e fica a 167 km da Capital paulista

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Feliz Ano Novo!!!!!!!

Desejo a todos os amigos, parceiros e família um 2015 maravilhoso com ainda mais viagens por este Brasil lindo. Que possamos conhecer caminhos novos e nos divertirmos a valer!

Conheça também nossa página no facebook: Blog Viagens pelo Brasil!



terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Novo post do BLOG VIAGENS PELO BRASIL é publicado no portal Instituto Estrada Real

Concomitantemente com o Blog Viagens pelo Brasil, o Instituto Estrada Real também publicou o novo post sobre Aparecida do Norte. Confiram como ficou acessando o link. Veja aqui também:


                            
EMOÇÕES E GRAÇAS EM APARECIDA DO NORTE/SP - ...

TURISTA: 
BLOG VIAGENS PELO BRASIL - Karina Motta

FORMA DE LOCOMOÇÃO: 
Ônibus

PERÍODO: 
17/10/2014 à 17/10/2014

CIDADES VISITADAS: 
Aparecida

CAMINHOS VISITADOS: 
Caminho Velho

RESUMO: 
http://blogviagenspelobrasil.blogspot.com.br/2014/12/emocoes-e-gracas-em-aparecida-do-nortesp.html Fé e religiosidade levam milhares de pessoas a Aparecida do Norte todos os anos para agradecerem graças alcançadas, principalmente, no mês da padroeira do Brasil O caro leitor que acompanha (http://blogviagenspelobrasil.blogspot.com.br/2014/10/a-padroeira-de-minas-gerais-na-serra-da.html ) o BLOG VIAGENS PELO BRASIL sabe que minhas viagens a Aparecida do Norte e à Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil, foram para agradecer e pedir bênçãos. Uma delas foi ainda mais especial: momento de oração para dar vida longa ao meu relacionamento com meu marido em nossa união estável. Emoção – A emoção bateu forte em meu peito nesta visita para pedir a bênção para minha união. Também já comentei em outro post (http://www.blogviagenspelobrasil.blogspot.com.br/search/label/Tiradentes) do VIAGENS PELO BRASIL que, ao visitar as cidades, principalmente em Minas Gerais, imagino que estou pisando exatamente o chão que tantos poetas, artistas, personagens históricos, revolucionários pisaram. Sinto-me emocionada, porém, desta vez a comoção foi ainda maior. Lembrei-me do meu pai, que havia morrido. Ele quase nunca fazia viagens de turismo, mas, fez questão de visitar o Santuário Nossa Senhora Aparecida. Uma vez para acompanhar minha mãe que pagava uma promessa pela minha saúde e outra apenas para agradecer a vida e mostrar sua devoção à padroeira do Brasil. Ao chegar ao memorial onde a santa foi encontrada, fui às lágrimas e logo amparada por meu marido. Imaginei que eu estava refazendo os passos que meu pai havia dado anos antes de mim naquele mesmo lugar já que eu não havia ido com ele na oportunidade por estar em período de provas na faculdade. Infelizmente, meu marido e meu pai não chegaram a se conhecer pessoalmente. Quando conheci meu marido, meu pai já havia morrido, mas, os dois têm muito em comum e meu marido respeita muito a imagem dele. Eles se dariam muito bem. São muito parecidos. Até brinco que foi meu pai quem me apresentou meu marido. Histórias de família que nos unem à Nossa Senhora Aparecida são muitas. Minha avó criou a mim e meus irmãos enquanto meus pais trabalhavam. Todos os dias e, principalmente, enquanto executavam os afazeres domésticos, minha avó e minha mãe cantarolavam músicas em homenagem à padroeira do Brasil. Cresci ouvindo estes hinos diariamente. Também uma história marcou o início da minha união estável. Ao comprarmos nosso apartamento, além de prometer que faríamos essa viagem a Aparecida juntos para agradecermos e pedir bênçãos à nossa união, meu marido fez questão de comprar o primeiro adorno para o nosso lar. Quando vi fiquei encantada. Era a imagem de Nossa Senhora Aparecida com uma caixa de vidro para protegê-la. A mesma está lá na estante da sala até hoje abençoando e honrando nossa casa e nosso casamento. Romaria – A enorme basílica e a fé dos romeiros impressionam. Aparecida do Norte faz parte da Estrada Real e recebe todos os anos milhares de romeiros: cerca de 11 milhões de visitantes, mas, este número só aumenta, principalmente, em outubro, mês em que se comemora o dia da padroeira. Por isso, é melhor se programar com antecedência para não correr o risco de não encontrar vagas nos hotéis, mas, muitas agências de viagens programam passeios chamados bate e volta em que os visitantes saem de suas cidades, assistem à missa na basílica e voltam para casa. A rampa de acesso, conhecida como passarela da fé, em que são feitas procissões e pagamentos de promessas parece um mar de gente. Ela foi construída para ligar as duas basílicas: a nova e a velha. O espaço de agradecimento dos milagres (Sala das Promessas) e onde as velas são acesas não são diferentes. A capela possui locais especificamente construídos para facilitar o acendimento das velas. A Sala das Promessas dá uma ideia das graças alcançadas. Muitos objetos, fotos, cartas, bilhetes demonstram o testemunho dos fiéis. Estima-se que, contando apenas as fotografias, são contabilizadas mais de 70 mil em exposição. Na capela do Santíssimo, o revestimento da cúpula é de pastilhas de porcelana banhadas a ouro. Ainda compõem o local, mosaicos italianos que representam os quatro evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João, além do Cordeiro Pascal. Os mosaicos foram presentes de João Paulo II. Duas esculturas representam o Lava pés e o caminho de Emaús. Em todos os espaços, cada detalhe é pensado com cuidado para representarem passagens bíblicas. Cada artista se esmerou como, por exemplo, na Capela São José Como descreve o portal A12, ela é repleta de simbologias. No piso, lírios se abrem representando a pureza e a sabedoria do pai adotivo de Jesus. Um painel retrata o momento em que o anjo Gabriel diz a São José para não ter medo de acolher Maria como esposa. O cajado é símbolo da justiça e os pombos demonstram a oferta dos pobres. A cúpula em tons de ouro simboliza que Deus é a luz plena O Santuário Nacional é o maior do mudo dedicado à Maria. Três papas já o visitaram, inclusive, o papa Francisco. A santa tornou-se padroeira do Brasil em 1930. Os responsáveis pelo santuário são os missionários redentoristas. As missas chegam a reunir 30 mil devotos no interior da basílica. Para celebrações externas, a capacidade é de 300 mil pessoas. Basílica Velha – Assistir a uma missa na basílica velha também é interessante. Muitos hotéis ficam próximos a ela e isto facilita a visita. De estilo barroco, a igreja possui duas torres. O altar é de mármore Carrara, da Itália. Já os púlpitos são em cedro. Imagem – A famosa imagem da santa negra foi encontrada no século XVIII pelos pescadores Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso no rio Paraíba, Porto Itaguassu em 1717. Itaguassu significa pedra grande em tupi-guarani. Apenas no século XX, a imagem passou a usar coroa de ouro e manto azul, presentes da princesa Isabel. A imagem fica em exposição permanente em um nicho, no térreo do santuário. Um nicho foi construído especificamente para abrigar a imagem. Ele tem detalhes de pastilhas de porcelana pintadas a ouro. A parte interior é revestida de ouro branco e, o vidro que protege a imagem é blindado. Pontos turísticos – Além das basílicas nova e velha, o complexo turístico religioso agrega outros pontos de visitação para os romeiros e peregrinos. No Morro do Cruzeiro, os fiéis podem fazer o percurso da Via-Sacra e, claro, que em uma de minhas visitas percorri o caminho. Muitos sobem rezando o terço e cantando também. Além disso, há o Porto Itaguassu, onde a imagem da santa foi encontrada e um presépio enorme e permanente. Ao longe já é possível observar o morro do Presépio, enfeitado por mais de 60 imagens, gruta, cascatas, lago e mirante. As esculturas em tamanho natural são de cimento e representam o nascimento de Jesus e até mesmo o encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio. Há, ainda, o memorial padre Vítor Coelho em homenagem ao pároco que marcou o santuário e a Capela do Batismo. A estrutura impressiona. São muitas lojas, praça de alimentação, banheiros... tudo para garantir uma boa acolhida ao romeiro. Lembrancinhas não faltam. Encontra-se de tudo nas barraquinhas montadas e nas lojas do santuário. Com certeza, ninguém chega nem sai de Aparecida sem estar carregado de bons sentimentos e excelentes recordações. Enfim, hoje e sempre, dai-nos a bênção, oh Mãe querida! Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós!

DICAS PARA OUTROS VIAJANTES: 
Visitei e recomendo: Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida Memorial onde a santa foi encontrada Passarela da fé Sala das Promessas Sala das Velas Capela do Santíssimo Capela São José Basílica Velha Rio Paraíba, Porto Itaguassu Morro do Cruzeiro Morro do Presépio Memorial padre Vítor Coelho Capela do Batismo Localização: Aparecida do Norte integra a Estrada Real e fica na região do Vale do Paraíba, Guaratinguetá, em São Paulo, a 171 km da capital paulista.

Emoções e graças em Aparecida do Norte/SP



Fé e religiosidade levam milhares de pessoas a Aparecida do Norte todos os anos para agradecerem graças alcançadas, principalmente, no mês da padroeira do Brasil

O caro leitor que acom-panha  o BLOG VIAGENS PELO BRASIL sabe que minhas viagens a Aparecida do Norte e à Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil, foram para agradecer e pedir bênçãos. Uma delas foi ainda mais especial: momento de oração para dar
vida longa ao meu relacionamento com meu marido em nossa união estável.  

Emoção – A emoção bateu forte em meu peito nesta visita para pedir a bênção para minha união. Também já comentei em outro post do VIAGENS PELO BRASIL que, ao visitar as cidades, principalmente em Minas Gerais, imagino que estou pisando exatamente o chão que tantos poetas, artistas, personagens históricos, revolucionários pisaram. Sinto-me emocionada, porém, desta vez a comoção foi ainda maior. Lembrei-me do meu pai, que havia morrido. Ele quase nunca fazia viagens de turismo, mas, fez questão de visitar o Santuário Nossa Senhora Aparecida. Uma vez para acompanhar minha mãe que pagava uma promessa pela minha saúde e outra apenas para agradecer a vida e mostrar sua devoção à padroeira do Brasil.

Ao chegar ao memorial onde a santa foi encontrada, fui às lágrimas e logo amparada por meu marido. Imaginei que eu estava refazendo os passos que meu pai havia dado anos antes de mim naquele mesmo lugar já que eu não havia ido com ele na oportunidade por estar em período de provas na faculdade. Infelizmente, meu marido e meu pai não chegaram a se conhecer pessoalmente. Quando conheci meu marido, meu pai já havia morrido, mas, os dois têm muito em comum e meu marido respeita muito a imagem dele. Eles se dariam muito bem. São muito parecidos. Até brinco que foi meu pai quem me apresentou meu marido.

Histórias de família que nos unem à Nossa Senhora Aparecida são muitas. Minha avó criou a mim e meus irmãos enquanto meus pais trabalhavam. Todos os dias e, principalmente, enquanto executavam os afazeres domésticos, minha avó e minha mãe cantarolavam músicas em homenagem à padroeira do Brasil. Cresci ouvindo estes hinos diariamente. 
Também uma história marcou o início da minha união estável. Ao comprarmos nosso apartamento, além de prometer que faríamos essa viagem a Aparecida juntos para agradecermos  e pedir bênçãos à nossa união, meu marido fez questão de comprar o primeiro adorno para o nosso lar. Quando vi fiquei encantada. Era a imagem de Nossa Senhora Aparecida com uma caixa de vidro para protegê-la. A mesma está lá na estante da sala até hoje abençoando e honrando nossa casa e nosso casamento.

Romaria – A enorme basílica e a fé dos romeiros impres-sionam. Aparecida do Norte faz parte da
Estrada Real e recebe todos os anos milhares de romeiros: cerca de 11 milhões de visitantes, mas, este número só aumenta, principalmente, em outubro, mês em que se comemora o dia da padroeira. Por isso, é melhor se programar com antecedência para não correr o risco de não encontrar vagas nos hotéis, mas, muitas agências de viagens programam passeios chamados bate e volta em que os visitantes saem de suas cidades, assistem à missa na basílica e voltam para casa.

A rampa de acesso, conhecida como passarela da fé, em que são feitas procissões e pagamentos de promessas parece um mar de gente. Ela foi construída para ligar as duas basílicas: a nova e a velha. O espaço de agradecimento dos milagres (Sala das Promessas) e onde as velas são acesas não são diferentes. A capela possui locais especificamente construídos para facilitar o acendimento das velas.

A Sala das Promessas dá uma ideia das graças alcançadas. Muitos objetos, fotos, cartas, bilhetes demonstram o testemunho dos fiéis. Estima-se que, contando apenas as fotografias, são contabilizadas mais de 70 mil em exposição.

Na capela do Santíssimo, o revestimento da cúpula é de pastilhas de porcelana banhadas a ouro. Ainda compõem o local, mosaicos italianos que representam os quatro evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João, além do Cordeiro Pascal. Os mosaicos foram presentes de João Paulo II. Duas esculturas representam o Lava pés e o caminho de Emaús.

Em todos os espaços, cada detalhe é pensado com cuidado para representarem passagens bíblicas. Cada artista se esmerou como, por exemplo, na Capela São José Como descreve o portal A12, ela é repleta de simbologias. No piso, lírios se abrem representando a pureza e a sabedoria do pai adotivo de Jesus. Um painel retrata o momento em que o anjo Gabriel diz a São José para não ter medo de acolher Maria como esposa.  O cajado é símbolo da justiça e os pombos demonstram a oferta dos pobres. A cúpula em tons de ouro simboliza que Deus é a luz plena

O Santuário Nacional é o maior do mudo dedicado à Maria. Três papas já o visitaram, inclusive, o papa Francisco. A santa tornou-se padroeira do Brasil em 1930. Os responsáveis pelo santuário são os missionários redentoristas. As missas chegam a reunir 30 mil devotos no interior da basílica. Para celebrações externas, a capacidade é de 300 mil pessoas.


Basílica Velha – Assistir a uma missa na basílica velha também é interessante. Muitos hotéis ficam próximos a ela e isto facilita a visita. De estilo barroco, a igreja possui duas torres. O altar é de mármore Carrara, da Itália. Já os púlpitos são em cedro.

 



Rio Paraíba do Sul ao fundo
Imagem – A famosa imagem da santa negra foi encontrada no século XVIII pelos pescadores Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso no rio Paraíba, Porto Itaguassu em 1717.  Itaguassu significa pedra grande em tupi-guarani. Apenas no século XX, a imagem passou a usar coroa de ouro e manto azul, presentes da princesa Isabel. A imagem fica em exposição permanente em um nicho, no térreo do santuário.

Um nicho foi construído especificamente para abrigar a imagem. Ele tem detalhes de pastilhas de porcelana pintadas a ouro. A parte interior é revestida de ouro branco e, o vidro que protege a imagem é blindado.

Pontos turísticos – Além das basílicas nova e velha, o complexo turístico religioso agrega outros pontos de visitação para os romeiros e peregrinos. No Morro do Cruzeiro, os fiéis podem fazer o percurso da Via-Sacra e, claro, que em uma de minhas visitas percorri o caminho. Muitos sobem rezando o terço e cantando também. Além disso, há o Porto Itaguassu, onde a imagem da santa foi encontrada e um presépio enorme e permanente.







Ao longe já é possível observar o morro do Presépio, enfeitado por mais de 60 imagens, gruta, cascatas, lago e mirante. As esculturas em tamanho natural são de cimento e representam o nascimento de Jesus e até mesmo o encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio. Há, ainda, o memorial padre Vítor Coelho em homenagem ao pároco que marcou o santuário e a Capela do Batismo.


A estrutura impressiona. São muitas lojas, praça de alimentação, banheiros... tudo para garantir uma boa acolhida ao romeiro. Lembrancinhas não faltam. Encontra-se de tudo nas barraquinhas montadas e nas lojas do santuário. Com certeza, ninguém chega nem sai de Aparecida sem estar carregado de bons sentimentos e excelentes recordações.




Enfim, hoje e sempre, dai-nos a bênção, oh Mãe querida! Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós!




Conheça também e curta nossa página no facebook: www.facebook.com.br/blogviagenspelobrasil

*Texto e Fotos: Karina Motta





Visitei e recomendo:

Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida
Memorial onde a santa foi encontrada
Passarela da fé
Sala das Promessas
Sala das Velas
Capela do Santíssimo
Capela São José
Basílica Velha
Rio Paraíba, Porto Itaguassu
Morro do Cruzeiro
Morro do Presépio
Memorial padre Vítor Coelho
Capela do Batismo




Gruta de Nossa Senhora de Lourdes
 


Localização:

Aparecida do Norte integra a Estrada Real e fica na região do Vale do Paraíba, Guaratinguetá, em São Paulo, a 171 km da capital paulista.