Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de julho de 2012

Diamantina é o cenário perfeito


Várias séries, novelas e filmes foram gravados na cidade de Diamantina/MG. Apenas para citar alguns: as minisséries A Cura – Globo, Rei Davi – da Record; as novelas A Padroeira e Irmãos Coragem – da Globo, os filmes A Dança dos Bonecos - de Helvécio Ratton e Chica da Silva – de Cacá Diegues. Este município tem turismo para todos os gostos, com belas cachoeiras, grutas, arquitetura colonial, igrejas barrocas, muita música e carnaval, por isso, não é à toa que virou o cenário preferido para gravações. A cultura está mesmo incrustada em cada esquina ou beco da cidade.
Casa de Chica da Silva

Com todo este panorama, nada mais natural do que a cidade também ser palco da vida de personalidades como Juscelino Kubitschek e Chica da Silva (a escrava que virou lenda por sua forte personalidade). Toda a história de vida pode ser conferida nas e casas onde eles moraram. Outro museu a ser visitado é o do Diamante, que possui um rico acervo de equipamentos de extração do mineral, arte sacra e mobiliário e utensílios de época.


Na chegada à cidade, percebe-se o tom acobreado das folhas de árvores e flores típicas da região, demonstrando ao turista a paisagem do cerrado. Uma exuberante paisagem pode ser encontrada, ainda, por quem segue o caminho de pedra construído pelos escravos. Já na arquitetura bem conservada, o que surpreende é a imensidão de detalhes. Conta-se que a do Mercado Municipal serviu de inspiração a Oscar Niemeyer para a fachada do Palácio do Planalto, em Brasília. Aliás, no mercado, é realizada a feira de artesanato e comidas típicas todo sábado. Porém, a marca registrada da arquitetura diamantinense e cartão postal da cidade é a Casa da Glória. São duas casas construídas em épocas diferentes, sendo que cada uma fica de um lado da rua. Elas são ligadas por um passadiço, que, na época das irmãs vicentinas, teve a função de evitar que as internas fossem alvo dos olhares dos rapazes, pois, para atravessar a rua, elas passavam por ele.
Casa da Glória é o principal cartão-postal de Diamantina

Caminho dos Escravos liga Diamantina ao distrito de Mendanha e é por onde os tropeiros  passavam
Mercado velho





Igreja N. S. do Carmo
As inúmeras igrejas são lindas. Cada uma possui história e riqueza como em toda a cidade. Nelas, encontram-se obras de Aleijadinho, peças em ouro e muitos detalhes. A Nossa Senhora do Carmo, por exemplo, tem uma peculiaridade: a torre fica na parte de trás. Conta-se que foi uma exigência de Chica da Silva, pois o badalar do sino a incomodava por ficar muito próximo à casa dela. Na Capela Senhor do Bonfim, o interessante é a torre única na fachada.

A mais antiga delas é a minha venerada Nossa Senhora do Rosário. A parte da frente tem um chafariz e a fachada é em rococó. O barroco é encontrado no prédio da São Francisco, mas esta igreja mistura ainda os estilos neoclássicos e rococó. O gótico pode ser encontrado na Basílica do Sagrado Coração de Jesus, que também possui impressionantes vitrais franceses. Já a diferença da igreja Nossa Senhora das Mercês é que ela tem os púlpitos como se fossem camarotes, dando a sensação de estar em um teatro.

Vila de Biribiri – A vila foi construída para abrigar os operários de uma antiga fábrica de tecidos, que está desativada. Apenas duas famílias moram lá ainda, mas, na alta temporada e em finais de semana, as casinhas são alugadas para os turistas. Porém, até chegar à Biribiri, surpreenda-se com limpidez das águas da cachoeira dos Cristais. Ela pode ser comparada ao brilho dos diamantes que deram nome à cidade. Se Diamantina é famosa por suas riquezas minerais, tenha a certeza de que suas preciosidades não param por aí. Há ainda o ecoturismo e o artesanato com as bonecas de cerâmica do Vale do Jequitinhonha, anjos feitos com as flores sempre-viva, tapetes arraiolo. E para completar só mesmo saboreando um delicioso frango ao molho pardo. Hummmm... minha boca enche d'água só de lembrar...

Vesperata – Uma das expressões culturais mais marcantes de Diamantina é a música. Desde as serestas que tanto agradavam JK à já consagrada Vesperata. Este é um evento que reúne multidões na rua da Quitanda para assistirem aos músicos das bandas locais se apresentando das sacadas dos casarões. Meu primeiro propósito ao visitar a cidade foi o de conhecer essa encantadora maravilha. É lindo! E que tal assistir a um concerto dentro de uma gruta? Pois, não se assuste. Diamantina te oferece essa experiência única. Por si só a gruta do Salitre impressiona e realmente emociona ao ser embalada pelo som de instrumentos musicais. Aos domingos, é a vez de todos se encontrarem no Café do Beco, que tem apresentações musicais e muito artesanato.


Desde 2002, Diamantina é considerada Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco. Bem, diante de tanta opulência histórica, cultural e natural só mesmo visitando a cidade para surpreender-se com sua suntuosidade. Fica aí o convite!


Visitei e recomendo:

Vesperata
Casa de Chica da Silva
Casa da Glória
Casa de JK
Beco do Motta
Gruta do Salitre
Igrejas
Vila de Biribiri e cachoeiras dos Cristais e Sentinela
Café do Beco


Localização:
Está a 292 km de Belo Horizonte, na região do Jequitinhonha (Norte de Minas Gerais).

Conheça também e curta nossa página no facebook: www.facebook.com.br/blogviagenspelobrasil


                                                                   *Texto e crédito das fotos: Karina Motta

Um comentário:

  1. Uma ótima viagem, com excelente companhia, minha esposa Karina Motta. E o texto deste blog expressa com perfeição o sentimento que remanesce. Wagner.

    ResponderExcluir