Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Praças e museus quase sempre juntos em BH

Inúmeros museus e praças compõem a cultura e arquitetura de Belo Horizonte. Não obstante, por vezes, eles dividem o mesmo espaço. Porém, advirto o prezado leitor que, neste post, não falarei sobre o conjunto arquitetônico da Pampulha, com seus museus,  por já ter abordado o assunto no blog. Então, vamos aos lugares que conjugam museu e praça primeiro e depois abordarei em outro texto os museus que mais gosto e que não ficam em praças e, é claro, outro para falar das praças mais famosas, mas, sem museus.

Um dos belos cartões-postais de BH é a praça da Liberdade. Inclusive, a famosa feira de artesanato da cidade já funcionou lá há alguns anos. Ela era cercada de prédios que antes pertenciam à administração estadual, com todas as secretarias de estado. Cada um com seu estilo desde o clássico até o moderno. Por si só os prédios já são verdadeiros conjuntos de arte. Sem falar nos jardins inspirados no palácio de Versalhes. Atualmente, todas as construções deram lugar a museus e ocupam o chamado Circuito Cultural da Praça da Liberdade com o Espaço Tim UFMG do Conhecimento, com planetário, observatório astronômico e salas sobre o universo, a vida na Terra e o meio ambiente; o Memorial Minas Gerais – Vale, que fala das tradições mineiras e o museu das Minas e do Metal, que abusa da tecnologia e ambientes virtuais para que o visitante conheça o universo dos minerais que construíram este estado.

Imagem da internet. Na foto, Rainha da Sucata e antigo prédio da SEE
A biblioteca pública Luiz de Bessa completa o circuito cultural e também foi projetada por Oscar Niemeyer a pedido de JK. Antes disso, havia apenas o museu de mineralogia. Logo no início, a construção pós-moderna recebeu o apelidado de Rainha da Sucata. Havia também o museu da Escola (que hoje funciona em outro local, no Instituto de Educação). Aliás, um prédio da praça que sempre recebeu visitas por sua beleza, história e arquitetura é o Palácio da Liberdade, que, por muitos anos, abrigou a sede do governo mineiro. Além disso, na praça, há outro edifício que não é museu, mas tem importância, cultura e beleza tanto quanto: é o prédio Niemeyer. Aliás, o arquiteto que deu nome à construção inspirou-se nas montanhas de Minas para mais este projeto em BH.

Imagem da internet - praça da Estação
Tão bonita quanto a praça da Liberdade é a Rui Barbosa ou da Estação. O estilo é neoclássico e tem o primeiro relógio público da cidade instalado no prédio que abrigou a estação ferroviária. Estátuas representam as quatro estações, dois leões e dois tigres, além da ninfa enfeitando a fonte. E uma escultura mostra fatos importantes da história de Minas por meio do Monumento à Civilização Mineira (Terra Mineira). Junto a ela, temos o Museu de Artes e Ofícios. Ele representa o universo do trabalho, com objetos, fotos e vídeos.

Visitei e recomendo:
Praças: da Liberdade, Rui Barbosa (da Estação),
Circuito Cultural da Praça da Liberdade (Espaço Tim UFMG do Conhecimento, com planetário; e o museu das Minas e do Metal)
Biblioteca Pública Luiz de Bessa
Palácio da Liberdade
Prédio Niemeyer
Museus:  de Mineralogia (Rainha da Sucata), da Escola, de Artes e Ofícios



Conheça também e curta nossa página no facebook: www.facebook.com.br/blogviagenspelobrasil



                                                    * Texto: Karina Motta

Nenhum comentário:

Postar um comentário