Pesquisar este blog

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Vinícolas visitadas no Vale dos Vinhedos/RS

Atenção: Segunda parte sobre a visita ao Vale dos Vinhedos e às vi-nícolas da região, no Rio Grande do Sul. Neste post, o BLOG VIAGENS PELO BRASIL  detalha como foi conhecer algumas delas. 

No post anterior, fizemos uma apresentação do conceituado circuito enoturístico do Rio Grande do Sul. Agora, vamos descrever um pouco da experiência do BLOG VIAGENS PELO BRASIL ao visitar algumas vinícolas na região. 
Um local magnífico é mesmo a vinícola Cave de Pedra, com seus vinhos
diferenciados e maravi-lhosos. Um castelo me-dieval dá todo o charme. A construção é em pedra basalto, material disponível naturalmente na região. Eles alugam as depen-dências para realização de eventos como aniversários e casamentos. Pelas fotos, fiquei encantada, realmente, são acontecimentos dignos da realeza. Há também um pequeno castelinho que serve de moradia para alguns funcionários da vinícola. Que privilégio, hein?!
Ao pesquisar sobre Bento Gonçalves para montar meu roteiro, fiz questão de deixar reservada a maior parte do meu tempo no Vale dos Vinhedos a esta vinícola. Ela é encantadora e a ex-pectativa, que já era alta, foi até superada.  Nossa visita foi praticamente exclusiva. Havia apenas outro casal conosco e ao ser informada de que fomos ao Vale dos Vinhedos exclusivamente pa-ra conhecer a Cave de Pedra e apenas passar pelas demais vinícolas, a enóloga dedicou ainda mais atenção a mim e ao meu marido.


A visita começa no túnel do castelo, passamos pelas caves subterrâneas e por onde o
Galhos dos parreirais foram utilizados na construção do castelo
vi-nhos ficam envelhe-cendo em barricas de carvalho. Em outro castelo interligado ao primeiro, conhecemos sobre a elaboração dos vinhos e espumantes. Na parte externa, passamos por um vinhedo com as principais uvas utilizadas/produzidas pela vinícola e logo após podemos subir até as torres do castelo de onde a paisagem é esplendorosa, uma panorâmica do Vale dos Vinhedos. Após nos deliciarmos com esta vista, é hora da parte mais difícil do passeio: degustar os produtos. Risos.

 Como está no próprio site da vinícola, ela “elabora um volume reduzido de vinhos e espumantes, mantendo assim a tipicidade do terroir do Vale dos Vinhedos. A especialidade da Cave de Pedra Winery é a elaboração de espumantes pelo processo Champenoise (fermentação na garrafa) muito utilizada na França por ser um método que resulta em um produto de qualidade superior”. E ainda há fabricação mínima de alguns ainda mais exclusivos. Ao saber disso, pedimos para incluir na degustação o vinho special, produzido com a uva marselan. Foram fabricadas apenas 3000 garrafas e não sabem se o farão de novo. Claro que trouxemos essa relíquia para nossa adega. Além disso, eles produzem um vinho licoroso, que lembra muito o do Porto e é servido na degustação. Compramos um para presentear. É um curinga. Além de ser uma deliciosa bebida, se deixá-lo no freezer por alguns minutos, ele vira uma excelente calda para servir com sorvete. Uma sobremesa incrível e um vinho deliciosamente irresistível de qualquer forma. Infelizmente, foi a única garrafa  que se quebrou no transporte de bagagem do avião. Nossa amiga ficou sem o presente... Mas, ainda bem, esta foi a única surpresa desagradável de todo o passeio. No mais, tudo perfeito. 
 

Vista do Spa do Vinho a partir da torre da Cave de Pedra
Ao subirmos nas torres da Cave de Pedra, foi possível vermos ao fundo, o hotel - Spa do Vinho. Ahhh... O hotel & Spa do Vinho Caudalie. Eu e meu marido já com-binamos que, contrariando minha determinação de nunca repetir passeio a fim de possibilitar conhecer o maior número de lugares diferentes possível, voltaremos ao Vale dos Vinhedos e, certamente, ficaremos hospedados neste maravilhoso hotel. 
Na Miolo, fica o Lote 43, uma das áreas mais nobres de produção de uvas da vinícola, que é a maior fabricante de vinhos finos do país. O Miolo Lote 43 é um dos poucos tintos nacionais a obter críticas positivas de sommeliers americanos e europeus. Lemos na revista Proteste que em uma degustação às cegas, com garrafas da América Latina, o vinho Miolo Lote 43 2011 foi o vencedor, superando rótulos famosos da Argentina, Chile e até mesmo do Brasil. O evento contou com jurados nacionais e internacionais.
Na Salton, uma grandiosidade e opulência sem fim. São 30 mil metros quadrados de área com parques industrial, Temático da Uva e do Vinho e passarelas suspensas. A vinícula fica no distrito de Tuiuty onde também há o Vale do Rio das Antas. Além de acompanhar todo o processo de produção, conhecer todas as instalações – vimos até o laboratório –, ainda pudemos degustar excelentes e raros vinhos. 

E por falar em vinhos raros, o Talento, por exemplo, foi servido para os papas Bento XVI e Francisco quando estiveram no Brasil. Claro que trouxemos um exemplar para nossa adega! As taças onde foi servido o vinho Talento para os papas foram guardadas e estão em exposição para os turistas. Há um vinho com brasão da família, o Salton Gerações. Deste, foram produzidas apenas três mil garrafas. Como já estava trazendo um raro da Cave de Pedra e o Talento da Salton, não quis adquirir este.
A visita guiada começa pelos parreirais. Aqui, eles são em pé. E, mais uma vez, é explicado que pedras brancas são colocadas aos pés de cada videira para que possam  refletir o sol e assim influenciarem na qualidade, doçura e amadurecimento das uvas, deixando-as com melhor sabor. As roseiras na ponta de cada linha de parreiral é para expulsar pragas.
  
Na entrada do prédio, há um quadro da Santa Ceia retratada por um artista local onde os modelos são funcionários da vinícola. O prédio é lindo, rico em obras de arte que retratam a enocultura e a vinícola em diferentes momentos da história. 

Foram construídas grandes e altas passarelas de onde é possível acompanhar do alto toda a fabricação dos vinhos até o engarrafamento. Muito interessante. 

Na Salton, quando as uvas trazidas pelos produtores chegam, são testadas de 15 em 15 segundos para que se possa medir a qualidade e doce das mesmas. Quanto melhor, mais o produtor recebe pelo produto.

A Casa Valduga é outro lugar encantador. Eles construíram uma vila muito chique, onde o turista pode se hospedar. Disseram que no café da manhã já é servido espumante. Ai... Ai... Que vidinha mais ou menos hein?! A tradicional casa é realmente requintada.
Localização:

Região Sul do Brasil. Município do estado do Rio Grande do Sul.
De avião, o aeroporto mais próximo fica em Caxias do Sul a 39 km. Já o aeroporto de Porto Alegre, capital do estado, fica a 120 km.

Visitei e recomendo: 
Vale dos Vinhedos
Parreirais
Vinícolas: destaco das que visitei, a Salvati & Sirena, a Salton e a Cave de Pedra

Conheça também e curta nossa página no facebook: www.facebook.com.br/blogviagenspelobrasil


                                                               *Texto e crédito das fotos: Karina Motta

Nenhum comentário:

Postar um comentário